Arquivo do mês: junho 2015

JASON STATHAM: O Homem sem medo!

Jason Statham estava sendo cotado para viver o Mercenário no segundo ano da série Daredevil, mas arruinou todas as chances disso acontecer ao fazer uma declaração que deixou a internet alvoroçada. Claro: Envolve falar mal dos filmes da Marvel. Ao que parece, depois do efeito Birdman, Age of Ultron e Mad Max (exatamente nessa ordem) ninguém mais tem medo de atirar contra a toda poderosa Marvel/ Disney. Pois bem. Durante uma entrevista onde promovia o seu mais novo filme, o artista marcial britânico desferiu o seguinte golpe:

Print

MAS quem é Statham para falar uma coisas dessas? O que ele entende sobre autenticidade?

Os mais desavisados acham que ele só fez o recente A Espiã Que Sabia de Menos , e filmes de ação como Carga Explosiva , Velozes & Furiosos 7Os Mercenários . Mas Statham já protagonizou ótimos filmes de atestada autênticidade:Adrenalina é um clássico trash, mas autêntico. Revólver, Snatch: Porcos e Diamantes e Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes   são pérolas, ótimos filmes e bastante autênticos.

O fato de não existir nenhum blockbuster estrondoso em seu curriculo deixa o “quase oscarizado” Mark Ruffalo seguro para rebater: “…Ele é peso leve?”. Uma declaração arrogante, principalmente se considerarmos que Statham é uma ator marcial que pode chutar a boca do hulk por duas horas enquanto cita Freud a cada golpe aplicado: Pode ser “peso leve”…mas esta certo em afirmar que a marvel, e os filmes de ação que seguem essa linha, não são nada autênticos e sem ambição. E vamos pegar Daredevil para mostrar o quanto sua declaração é pertinente.

Vamos colocar em perspectiva para quem nasceu ontem: Aqui esta uma linha das séries e adaptações relevantes sem as quais a série Daredevil não existiria da mesma maneira. Consequentemente todas da Warner, pioneira não só nas adaptações de quadrinhos para cinema, mas também em adaptações de quadrinhos para séries de TV.

Print

 

Com esse material que antecede sua criação, fica quase impossível cometer um erro tão sofrível quanto aquele de 2003. O Fanboy extremista vai dizer que não tem nada a ver com essas séries. Mas o público em geral nota as semelhanças com as demais séries de tal forma que chega a gerar cenas constrangedoras para os mais alforrados fãs: “Esse não é o Batman?” , “Outro Arrow ?” A melhor que escutei até hoje foi; “Legal: Agora temos o Batman sem camisa ( Arrow), o Batman menino ( Gotham) e o Batman cego ( Daredevil)”.

Uma síntese possível do seriado do Daredevil é que não consegue ser nada mais do que Batman Begins em 13 episódios

Não é estranho esses “críticos da nova geração” alegar originalidade de uma série como essa. Vamos fazer um jogo da memória com a imagem abaixo:
3

Outra forma de analisarmos é através das revisões pela internet. Em uma das revisões mais empolgadas que vi e ouvi, no caso, um certo site/blog citou o Rotten Tomatos como prova maior de que Daredevil é um sucesso. Uma péssima escolha se formos ver como o site funciona.
Usando o esquema do site, podemos ver que O DOBRO de expectadores se dignificaram a dar seu parecer sobre “Better Call Saul” , por exemplo, e TODOS foram positivos, enquanto as séries quadrinísticas nem sempre quebram a barreira das 30 revisões. As que quebram são extremamente positivas.

Print

O site Variety teve acesso a informações do Netflix que justificam o sucesso da série: Mas a própria matéria original não dá muito crédito a essas informações por serem imprecisas e apenas indícios de que a série deu certo. E deu mesmo. O que é bom! Graças a isso posso ter esperança de um bom  quarto ano em Arrow, ou um Agent of Shield melhor…porque DD é de fato uma coletânea do que funcionou nelas.

Outra forma de medir isso é através do próprio site da Netflix…até o momento Arrow esta com a média de 2.972.015 classificações (4,4 estrelas) e Daredevil quase iguala com Média de 2.632.536 classificações (4,6 estrelas) com estreias quase que ao mesmo tempo.

Mas onde exatamente Daredevil peca na falta de autenticidade? Copiando Batman e Arrow, concertando seus erros e ampliando seus acertos? Não. Daredevil parece um recorte dos piores clichês do século passado…revivendo em certos preconceitos que o cinema contemporâneo tem se esforçado para combater..além de se arrasta para preencher o espaço de 13 episódios.  Observem.

Print

Ao analisarmos isso tudo por uma ótica mais impiedosa (a mesma aplicada pelos sites de entretenimento mais acessados quando se trata dos estúdios concorrentes) percebemos porque a escolha em libarar a série de uma só vez, evitando assim o efeito “Agent of Shield”: a queda drástica de audiência pela perda de interesse do público. Com todos os episódios acessíveis o expectador passa para o próximo, quase que mecânica mente, independente da qualidade do episódio, chegando ao fim se dando por satisfeito. Não mais do que isso.

Tente ignorar sensação de “já vi isso antes”…se não conseguir: Não se preocupe…

chelios

Ilustração: Acir Galvão.
Texto: Franz Galvão e Acir Galvão.
Anúncios